terça-feira, 31 de maio de 2011

Bluray news nº. 4 com o BD 'Refém' com Bruce Wills

A revista do disquinho azul de alta definição acaba de lançar seu quarto número (além de uma edição especial). 

A matéria de capa é o ganhador do Oscar 'O Discurso do Rei' e a revista aborda os extras que acompanham o filme (Making Off, Discursos originais do Rei George, etc). Também conta com uma matéria sobre Anne Hathaway, entrevistas com Danilo Gentili (CQC) e Steve Preeg (supervisor de efeitos especiais de 'Tron - O Legado'). São abordados dois ótimos lançamentos: 'Taxi Driver' de Scorsese, com Jodie Foster (com 14 anos) e Robert De Niro e 'Bravura Indômita' dos irmãos Cohen. Há um bom destaque para a tecnologia 3D  além da reportagem de rotina com colecionadores de Bluray. A maior parte das 50 páginas continuam dedicadas ao catálogo de lançamentos no Brasil. 


Neste mês acompanha a revista o filme 'Refém' com Bruce Wills. O thriller de ação foi uma produção dinamarquesa e americana de 2005 e tem a direção de Florent Emilio Siri. 

A sinopse do filme é a seguinte: Após passar por uma tragédia pessoal enquanto trabalhava como negociador de reféns para o Departamento de Polícia, Jeff Talley (Bruce Willis) pede demissão do cargo e decide trabalhar como delegado na pequena cidade de Bristo Camino. Jeff quer paz e a pacata cidade tem tudo para lhe proporcionar isto. Porém quando três adolescentes vão à casa de uma família com o objetivo de roubar o carro deles, eles ficam presos dentro da casa e decidem por tomar todos como seus reféns. A situação força Jeff a atuar como negociador dos reféns, fazendo um trabalho que ele preferia nunca mais ter que realizar em sua vida.



domingo, 15 de maio de 2011

Barcas S.A. e Empresas de Ônibus: o Caos do Transporte na Terra de Araribóia.

Não é a primeira e não será a última em que comento sobre a questão do transporte coletivo. Ao que parece é um problema que me aflige mais do que aos governantes.

Tratando especificamente de Niterói e São Gonçalo e como usuário desses transportes de longa data posso afirmar que as Barcas S.A. e as empresas de ônibus fazem com os cidadãos na atualidade é o pior serviço já realizado em muitos anos.

Lembro-me das Barcas que há 6 ou 7 anos não contavam com grandes filas de espera, a passagem era bem mais barata e contávamos com poucos atrasos. Hoje o cenário é bem diferente: filas na Praça XV que chegam até abaixo da perimetral, na estação de Araribóia chegam até à rua e dobram de volta, aumentos e mais aumentos no valor das passagens, superlotação das estações e não raras confusões. As novas embarcações chamadas de catamarãs prometeram diminuir o tempo de viagem, o que de fato aconteceu, mas em contrapartida sofremos com o calor insuportável , pois o sistema de refrigeração não é ligado e as pequenas janelas não dão vazão.

O próprio embarque já é um teste e tanto de paciência. Em horários de rush são em média de 20 e 30 minutos só do lado de fora esperando passar pela roleta. Quando você finalmente consegue entrar são pelo menos 10 minutos esperando a abertura das 'portas' e esperando a barca atracar, encher e partir. Contando com os supostos 15 minutos da travessia são no mínimo 45 minutos para chegar ao outro lado da baia.

E a cereja do Bolo veio com o excelente benefício promovido pelo nosso brilhante governador, Sérgio Cabral, de extinguir as barcas da madrugada e em 'troca' disso também conceder isenção de ICMS no preço do bilhete. Logicamente devíamos pensar que os preços dos bilhetes sofreriam uma redução, não? Exatamente isso, NÃO, e continuamos a pagar R$ 2,80.

Nos últimos dias tive provas cabais da pouca vontade das Barcas S.A. em melhorar o serviço. Determinado dia três barcas atracaram ao mesmo tempo na estação de Niterói. Penso comigo, porque não fazem o mesmo nos horários de maior fluxo? Estou até agora tentado achar respostas.

Postei algumas fotos das filas para reforçar minha fala, mas infelizmente não tenho dos tumultos recentes nas estações , pois os seguranças me proibiram de tirá-las, obviamente se fosse mostrando algo bacana, uma ação social, até mesmo o segurança se prontificaria a tirar.

Com relação aos ônibus a coisa pouco muda. O lugar comum é encontrar o terminal de Niterói abarrotado de gente. O lugar conta com diversos corredores para acesso aos ônibus e não são raras as vezes que a fila sai do ponto do ônibus passa pelo corredor e fica caminho principal onde ficam diversas lojas.

Aclamado como um dos melhores terminais do estado, o Terminal João Goulart conta com tetos onde podemos ver espécies de estalactites, isso mesmo, aquela formação em teto de cavernas provocada pela ação da água. Em seu penúltimo corredor impera a desordem. Várias linhas fazem ponto final em apenas um único lugar, como por exemplo, a viação Nossa Senhora do Amparo que tem as linhas 535,536,537 com ponto final exatamente no mesmo lugar.

Em relação estritamente aos veículos o que não falta é desconforto e atrasos. Retomando à N. S. do Amparo como exemplo, sua linha 536 possui poucos coletivos e em determinados horários sua espera pode chegar a 35 ou 40 minutos. Em finais de semana então... É mais fácil encontrar uma Arara Azul, uma Águia Careca Americana e um Mico Leão Dourado no mesmo lugar do que ver um 536, o intervalo é de no mínimo 1 hora.

Outro grande exemplo é a viação Pendotiba que dentre diversas linhas detém 35,40, 46, 48, etc e há algum tempo passou ficar com as linhas 770 e 771 de Pendotiba e Itaipu ao Centro do Rio cujos horários seguem com certa normalidade por uma semana, mas no restante do mês fica-se a mercê da boa vontade do trânsito. Alias é essa a desculpa utilizada pela empresa para os frequentes atrasos. Como 'solução' foi disponibilidade um telefone que oferece a posição do próximo ônibus através de um rastreamento por GPS, mas penso... de que adianta GPS se não há disponibilidade de carros para 'furarem' o trânsito e conseguir diminuir a espera. De que me adianta saber que vou chegar atrasado, o que eu quero é ônibus no horário. A mesma linha conta com ônibus comuns extremamente desconfortáveis até para pessoas de baixa estatura e carros com ar que quebram em número acima do tolerável. Em questão de superlotação poucos a superam. A linha 35 Baldeador - Terminal deve nutrir paixão pelo calor humano, só assim para compreender que até mesmo em finais de semana e em horários, aparentemente tranqüilos, o mesmo esteja sempre lotado. No verão é um exercício de persistência.

Obviamente que os problemas aqui relatados não são exclusividade daqui atingindo praticamente todo país e isto só aumento o meu desalento.

Aqui no Brasil institui-se como solução do transporte o carro. E isso não é solução em nenhum lugar mais ou menos desenvolvido, pois a quantidade excessiva de carros agrava não somente o tráfego (3 carros ocupam o lugar de um ônibus e enquanto o primeiro pode carregar apenas de 3 a 15 pessoas o ônibus levara em média 40) como também aumenta a poluição. Não que a compra deve ser dificultada, afinal carro não pode ser símbolo de status e deve ser direito de todos tê-lo, mas o que deve-se trabalhar é em relação ao seu uso em dias de semana, atribuindo-o mais como um instrumento para o lazer do que como meio de transporte para o trabalho. Com o desenvolvimento de um transporte coletivo eficaz poderão ser implementadas estratégias para inibir o uso do carro ou usá-lo de modo mais sustentável (caronas entre pessoas que moram e trabalham em locais próximos) e que já existem em outra cidades como rodízios e pedágio urbano.








domingo, 8 de maio de 2011

Flamengo Campeão Invicto. E Listagem de Todos os Campeões Cariocas


Flamengo Campeão Invicto. Trigésimo Segundo Título do Flamengo que aumenta sua hegemonia no estado do Rio de Janeiro, mesmo tendo disputado seu primeiro campeonato em 1912, seis anos depois de Fluminense e Botafogo.

Também é o seu Quinto título invicto o que o coloca ao lado do Vasco também com cinco. 

Nos últimos 13 anos o Flamengo conquistou 8 vezes o Estadual, hegemonia nunca vista antes. Nestes 13 anos também foram 1 Copa dos Campeões, 1 Copa do Brasil, 1 Mercosul e 1 Brasileiro. 

Segue listagem de todos os campeões, vices, terceiros e quarto lugares assim como detalhes destes campeonatos.

Fonte: Wikipédia.

AnoCampeão[1]Vice-campeão3º lugar4º lugarNota
1906FluminensePaissanduRio CricketBotafogo
1907Botafogo
Fluminense
Não houveAA Internacional
Paissandu
Não houveDois campeões em 1907[a]
1908Fluminense[b]BotafogoAméricaRio Cricket
1909Fluminense[b]BotafogoAméricaRiachuelo
1910BotafogoFluminenseAméricaRiachuelo
1911Fluminense[b]AméricaBotafogoRio Cricket
1912PaissanduFlamengoAméricaRio Cricketpela LMSA, Liga Metropolitana de Sports Athleticos
BotafogoSC AmericanoPaulistanoGermâniapela AFRJ, Associação de Football do Rio de Janeiro
1913AméricaBotafogoFlamengoPaissandu
1914FlamengoBotafogoAméricaFluminense
1915Flamengo[b]FluminenseAméricaBotafogo
1916AméricaBotafogoBanguFlamengo
1917FluminenseAméricaFlamengoSão Cristóvão
1918FluminenseBotafogoSão CristóvãoFlamengo
1919FluminenseFlamengoBotafogoSão Cristóvão
1920Flamengo[b]FluminenseAméricaBotafogo
1921FlamengoAméricaBanguAndarahy
1922AméricaFlamengoFluminenseBotafogo
1923Vasco da GamaFlamengoSão CristóvãoFluminense
1924Vasco da Gama[b]BonsucessoEngenho de DentroAndarahypela LMDT, Liga Metropolitana de Desportos Terrestres***
FluminenseFlamengoSão CristóvãoBotafogopela AMEA, Associação Metropolitana de Esportes Athleticos
1925FlamengoFluminenseVasco da GamaBotafogo
1926São CristóvãoVasco da GamaFluminenseBangu
1927FlamengoFluminenseAméricaVasco da Gama
1928AméricaVasco da GamaBotafogoFlamengo
1929Vasco da GamaAméricaSão CristóvãoFluminense
1930BotafogoVasco da GamaAméricaBangu
1931AméricaVasco da GamaBanguBotafogo
1932BotafogoFlamengoAndarahySão Cristóvão
1933BotafogoOlariaAndarahyEngenho de Dentropela AMEA, Associação Metropolitana de Esportes Athleticos
BanguFluminenseVasco da GamaBonsucessopela LCF, Liga Carioca de Futebol
1934BotafogoAndarahyOlariaMavílispela AMEA, Associação Metropolitana de Esportes Athleticos
Vasco da GamaSão CristóvãoAméricaBangupela LCF, Liga Carioca de Futebol
1935BotafogoVasco da GamaSão CristóvãoAndarahypela FMD, Federação Metropolitana de Desportos
AméricaFluminenseFlamengoBonsucessopela LCF, Liga Carioca de Futebol
1936Vasco da GamaMadureiraSão CristóvãoBotafogopela FMD, Federação Metropolitana de Desportos
FluminenseFlamengoAméricaBonsucessopela LCF, Liga Carioca de Futebol
1937FluminenseFlamengoVasco da GamaBotafogopela LCF, Liga Carioca de Futebol
Não concluído[c]pela FMD, Federação Metropolitana de Desportos
1938FluminenseFlamengoBotafogoVasco da Gama
1939FlamengoBotafogoSão CristóvãoFluminense
1940FluminenseFlamengoVasco da GamaBotafogo
1941FluminenseFlamengoBotafogoVasco da Gama
1942FlamengoBotafogoFluminenseSão Cristóvão
1943FlamengoFluminenseSão CristóvãoVasco da Gama
1944FlamengoVasco da GamaBotafogoFluminense
1945Vasco da Gama[b]BotafogoAméricaFlamengo
1946FluminenseBotafogoFlamengoAmérica
1947Vasco da Gama[b]BotafogoAméricaFluminense
1948BotafogoVasco da GamaFluminenseFlamengo
1949Vasco da Gama[b]FluminenseBotafogoFlamengo
1950Vasco da GamaAméricaBanguBotafogo
1951FluminenseBanguBotafogoFlamengo
1952Vasco da GamaFlamengoFluminenseBangu
1953FlamengoFluminenseBotafogoVasco da Gama
1954FlamengoAméricaBanguVasco da Gama
1955FlamengoAméricaVasco da GamaFluminense
1956Vasco da GamaFluminenseBotafogoFlamengo
1957BotafogoFluminenseFlamengoVasco da Gama
1958Vasco da GamaFlamengoBotafogoFluminense
1959FluminenseBotafogoBanguVasco da Gama
1960AméricaFluminenseBotafogoFlamengo
1961BotafogoFlamengo e Vasco da Gamanão houveFluminense
1962BotafogoFlamengoFluminenseVasco da Gama
1963FlamengoFluminenseBanguBotafogo
1964FluminenseBanguFlamengoBotafogo
1965FlamengoBanguFluminenseBotafogo
1966BanguFlamengoFluminenseBotafogo
1967BotafogoBanguFluminenseFlamengo
1968BotafogoVasco da GamaFlamengoAmérica
1969FluminenseFlamengoBotafogoVasco da Gama
1970Vasco da GamaFluminenseBotafogoAmérica
1971FluminenseBotafogoOlariaFlamengo
1972FlamengoFluminenseVasco da GamaBotafogo
1973FluminenseFlamengoVasco da GamaBotafogo
1974FlamengoVasco da GamaAméricaBotafogo
1975FluminenseBotafogoVasco da GamaFlamengo
1976FluminenseVasco da GamaAméricaBotafogo
1977Vasco da GamaFlamengoFluminenseBotafogoúltimo campeonato organizado pela Federação Carioca de Futebol (FCF)
1978FlamengoVasco da GamaFluminenseBotafogoprimeiro campeonato organizado pela FERJ, fusão entre a Fed. Carioca (FCF) e a Federação Fluminense de Desportos (FFD); nesse ano porém a FERJ organizou campeonatos distintos para cariocas (capital) e fluminenses (interior)
1979FlamengoVasco da GamaBotafogoFluminensecampeonato especial organizado pela FERJ, reunindo os melhores clubes dos últimos campeonatos carioca e fluminense
1979*FlamengoFluminenseVasco da GamaBotafogoprimeiro campeonato reunindo todos os clubes das divisões principais carioca e fluminense
1980FluminenseVasco da GamaFlamengoBangu
1981FlamengoVasco da GamaBotafogoBangu
1982Vasco da GamaFlamengoAméricaBotafogo
1983FluminenseFlamengoBanguAmérica
1984FluminenseFlamengoVasco da GamaBangu
1985FluminenseBanguFlamengoVasco da Gama
1986FlamengoVasco da GamaFluminenseBotafogo
1987Vasco da GamaFlamengoBanguFluminense
1988Vasco da GamaFlamengoAmericanoFluminense
1989Botafogo[b]FlamengoVasco da GamaFluminense
1990BotafogoVasco da GamaFluminenseFlamengo
1991FlamengoFluminenseBotafogoVasco da Gama
1992Vasco da Gama[b]FlamengoFluminenseAmérica T.R.
1993Vasco da GamaFluminenseFlamengoBangu
1994Vasco da GamaFlamengoFluminenseBotafogo
1995FluminenseFlamengoBotafogoVasco da Gama
1996Flamengo[b]Vasco da GamaBotafogoFluminense
1997BotafogoVasco da GamaFlamengoFluminense
1998Vasco da GamaFlamengoFluminenseBangu
1999FlamengoVasco da GamaFluminenseFriburguense
2000FlamengoVasco da GamaBotafogoFluminense
2001FlamengoVasco da GamaAmericanoFluminense
2002FluminenseAmericanoBanguFriburguense
2003Vasco da GamaFluminenseFlamengoAmericano
2004FlamengoVasco da GamaFluminenseAmericano
2005FluminenseVolta RedondaBotafogoAmericano
2006BotafogoMadureiraAméricaCabofriense
2007FlamengoBotafogoMadureiraVasco da Gama
2008FlamengoBotafogoFluminenseVasco da Gama
2009FlamengoBotafogoVasco da GamaFluminense
2010BotafogoFlamengoFluminenseVasco da Gama
2011Flamengo[b]FluminenseBotafogoBoavista




ClubeEra AmadoraEra ProfissionalTotalAnos Campeão
Flamengo626321914; 1915; 1920; 1921; 1925; 1927; 1939; 1942; 1943; 1944; 1953; 1954; 1955; 1963; 1965; 1972; 1974; 1978; 1979; 1979 (especial); 1981; 1986; 1991; 1996; 1999; 2000; 2001; 2004; 2007; 2008, 2009 e 2011
Fluminense921301906; 1907; 1908; 1909; 1911; 1917; 1918; 1919; 1924; 1936; 1937; 1938; 1940; 1941; 1946; 1951; 1959; 1964; 1969; 1971; 1973; 1975; 1976; 1980; 1983; 1984; 1985; 1995; 2002 e 2005
Vasco da Gama319221923; 1924; 1929; 1934; 1936; 1945; 1947; 1949; 1950; 1952; 1956; 1958; 1970; 1977; 1982; 1987; 1988; 1992; 1993; 1994; 1998 e 2003
Botafogo712191907; 1910; 1912; 1930; 1932; 1933; 1934; 1935; 1948; 1957; 1961; 1962; 1967; 1968; 1989; 1990; 1997; 2006 e 2010
América-RJ5271913; 1916; 1922; 1928; 1931; 1935 e 1960
Bangu0221933 e 1966
São Cristóvão-RJ1011926
Paissandu1011912


  • a. ^ Botafogo e Fluminense entraram num impasse sobre a decisão do título. Após muitas decisões judiciais que favoreceram os dois lados em 1996 a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, por decisão administrativa, declarou os dois clubes campeões, terminado com batalhas jurídicas de 89 anos
  • b. ^ Títulos conquistados de forma invicta
  • c. ^ O campeonato da FMD de 1937 não terminou. Pelo regulamento, o título seria decidido entre o campeão do primeiro turno e o campeão do segundo. O São Cristóvão venceu o primeiro turno, garantindo-se na final, mas com a pacificação das entidades e a fusão da FMD com a LCF o segundo turno não foi realizado. O São Cristóvão, atualmente, reivindica o reconhecimento do campeonato como de turno único pela FERJ

Notas

  1. Botafogo e Fluminense terminaram empatados em primeiro lugar em 1907. Ambos reivindicaram o título, mas a Liga Metropolitana de Football julgou-se incompetente para resolver a questão. Depois de diversos recursos a tribunais por parte de ambos os clubes, a divisão do título foi definitivamente oficializada em 1993. Todos os detalhes da questão segundo o ponto de vista botafoguense encontram-se no pequeno livro "Botafogo F.R. 11x0 Fluminense F.C." (36 paginas), escrito pelos advogados do Botafogo, Maury R. de Macedo e Alberto Ary V. de Macedo.
    De volta a 1907...
  2. Algumas listas apresentam apenas o Paysandu como o campeão de 1912, no campeonato da Liga Metropolitana de Sports Athleticos (LMSA). No entanto, naquele ano o Botafogo foi campeão no campeonato da Associação de Football do Rio de Janeiro (AFRJ). O Botafogo, que havia abandonado a Metropolitana no ano anterior em protesto contra a suspensão por um ano imposta ao seu atleta Delamare, fundadou a AFRJ especialmente para organizar um campeonato para ele próprio participar em 1912. A AFRJ, logo apelidada de "liga barbante" devido à falta de expressão dos demais participantes, durou apenas um ano, sendo extinta quando o Botafogo voltou à Metropolitana em 1913. O texto "A alma do Botafogo", de Mário Filho, contém mais detalhes.Durante muito tempo, as estatísticas não contabilizavam esse título do Botafogo, mas recentemente, talvez pela insistência dos seus torcedores, esse costume mudou.
    De volta a 1912...
  3. Clubes na época aristocráticos, como Flamengo e Fluminense, abandonaram a LMDT e fundaram a Associação Metropolitana de Esportes Athleticos (AMEA) em 1924. Outros clubes foram admitidos na AMEA, sob condições baseadas em discriminação racial e social. O Vasco, campeão do ano anterior, recusou-se a satisfazer estas condições indignas e preferiu não se filiar à AMEA, permanecendo na LMDT ao lado de outros clubes pequenos. No ano seguinte, entretanto, a AMEA abandonou o preconceito e os clubes da divisão principal da LMDT ingressaram na AMEA. Este episódio foi decisivo para a extinção do racismo no futebol carioca.
    De volta a 1924...
  4. Até 1932, todos os clubes eram oficialmente amadores, embora muitos praticassem o chamado amadorismo marrom. Em 33, vários clubes, entre eles os clubes grandes, com exceção do Botafogo, romperam com a Confederação Brasileira de Desportos (CBD) e adotaram o profissionalismo, criando a Liga Carioca de Futebol (LCF). A CBD continuou reconhecendo oficialmente a AMEA, na qual o Botafogo permaneceu.
    De volta a 1933...
  5. Não há vice-campeão no campeonato da AMEA de 1934, devido a dois fatos: Primeiro, vários clubes abandonaram a competição ao longo de sua realização; segundo, vários jogos deixaram de ser realizados depois que o Botafogo assegurou o título por antecipação. Assim, não há classificação de posições abaixo do primeiro lugar.
    De volta a 1934...
  6. Devido a uma discórdia entre Vasco, de um lado, e Flamengo e Fluminense, de outro, o primeiro abandonou a LCF em 1935. O Vasco então aceitou uma proposta do Botafogo para formarem uma nova entidade, a Federação Metropolitana de Desportos, que substituiu a AMEA como a liga reconhecida pela CBD. Seguindo o Vasco, o Bangu e o São Cristóvão também se transferiram da LCF para a FMD, enquanto que a Portuguesa seguiu o caminho inverso, trocando a AMEA pela LCF.
    De volta a 1935...
  7. Com a adoção do profissionalismo em todo o território nacional em 1937, ocorre a fusão da LCF e da FMD, surgindo a Liga de Futebol do Rio de Janeiro, que em 1941, passou a se chamar Federação Metropolitana de Futebol.
    De volta a 1937...
  8. Com a transferência do Distrito Federal para Brasília em 1960, é criado o estado da Guanabara, e a FMF passa a se chamar Federação Carioca de Futebol. O campeonato carioca continuou sendo disputado apenas pelos clubes da cidade (e mais o Canto do Rio, de Niterói, entre 1943 e 1964).
    De volta a 1960...
  9. A fusão dos estados da Guanabara e do Rio de Janeiro, ocorrida em 1974, foi finalizada no âmbito futebolístico em 1979, com a criação da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (clubes do interior já vinham participando do campeonato desde 1975). Para celebrar o evento, a nova entidade realizou o assim denominado Campeonato Especial, além do campeonato normal. O Flamengo venceu ambos.