sábado, 25 de outubro de 2014

Um Voto de Covardia

Não, o PT não representa os anseios da classe trabalhadora. Sim, o PT privilegiou os banqueiros, promoveu reforma previdenciária que prejudicou-nos, leiloou nosso pré-sal. Não, o PT não inventou a corrupção e a compra de votos, a própria reeleição foi fruto da compra de votos, mas pisando em sua aclamada ética, adotou tais práticas. Sim, o PT se distanciou da esquerda e se aproximou do conservadorismo, de partidos e políticos representantes das elites, da burguesia, do latifúndio e do agronegócio. Sim, o PT enfraqueceu os movimentos sociais que sua vez capitularam a luta a trocando pela governabilidade. Tendo consciência disso tudo, levando a criticidade adquirida nas cadeiras da Escola de Serviço Social da UFF e o princípio básico de nunca, jamais, em hipótese alguma e nem sob tortura chinesa votar no PSDB, a decisão correta, moral e eticamente seria o voto nulo.

Mas a covardia em mim surgente e o peso da culpa não me permitem acordar na Segunda-Feira sabendo que eu possa ter contribuído para levar à presidência o PSDB de Aécio, Serra, Alckmin e FHC. Não consigo me imaginar como cúmplice pelo retorno ao Palácio do Planalto do partido que sucateou e entregou ao capital privado nossas teles, nossa Vale do Rio Doce e que por muito pouco não presenteou aos especuladores nossa principal e mais estratégica empresa cujo nome tentaram americanizar, como se não fosse o bastante conseguir afundar a maior plataforma até então construída e reduzir seu quadro a menos da metade do que é hoje. Seria demasiadamente cruel ter a noção de ter participado do renascimento daqueles que atacaram a CLT insistentemente, que proporcionaram o maior arrocho salarial do funcionalismo público, que aprovou o fator previdenciário, que chamou aposentados de vagabundos e que implicou a esse país a maior taxa de desemprego já medida. Não conseguiria olhar nos olhos do meu pequeno Ian com o remorso de ter colaborado para a vitória de um grupo que vilependiou nossa educação, esvaziou as universidades federais e proporcionou os anos mais sombrios do ensino público, os mesmos que 'controlaram' a inflação com fome, miséria, baixos salários e altas taxas juros. Como poderia abrir o jornal, a internet e ver o sorriso de Mainardi, Constantino, Azevedo, Mirian Leitão, Lobão, Regina Duarte, Malafaia entre outros sabendo que a alegria deles é a tristeza da maioria da população. Sim, sei que uma vitória de Dilma indica muito mais luta do que festa, muito mais briga do que paz, muito mais críticas do que elogios, mas minha covardia é mais digerível do que a culpa que sentiria. Covardemente opto pelo medo de entregar o país às mãos tucanas. Sem orgulho e constrangido, porém leve, escolho a derrota dos sociais democratas mesmo sabendo que não será uma plena vitória dos trabalhadores.

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Sambas Enredo do Carnaval 2015 Grupo de Acesso

Os tamborins estão esquentando. No dia 29 de Setembro a Império Serrano foi a última escola de samba do grupo de aceso a escolher seu samba para o Carnaval de 2015. Ouvindo as gravações, que ainda podem passar por alterações em letra e música, fiquei satisfeito com a qualidade de boa parte dos sambas, com especial atenção para Renascer de Jacarepaguá,  Império da Tijuca, Unidos de Padre Miguel e Acadêmicos do Cubango. Minha classificação para os sambas é a seguinte: 

Excelentes: Renascer de Jacarepaguá - Império da Tijuca - Unidos de Padre Miguel

Ótimos: Acadêmicos do Cubango

Bons: Estácio de Sá - Império Serrano - Unidos de Bangu

Regulares: Porto da Pedra - Paraíso do Tuiuti - União do Parque Curicica


Ruim: Caprichosos de Pilares 

Péssimos: Inocentes de Belford Roxo - Acadêmicos de Santa Cruz - Em Cima da Hora - Alegria da Zona Sul

Os desfiles terão inicio no dia 13 de Fevereiro, Sexta-Feira, às 21:00.

13 de Fevereiro                      
Unidos de Bangu / Em Cima da Hora /  Império Serrano  / Paraíso do Tuiuti /  União do Parque Curicica / Porto da Pedra /  Caprichosos de Pilares /        

14 de Fevereiro
Alegria da Zona Sul / Acadêmicos de Santa Cruz / Inocentes de Belford Roxo / Unidos de Padre Miguel / Império da Tijuca / Renascer de Jacarepaguá / Acadêmicos do Cubango / Estácio de Sá /


Confira os sambas das 15 escolas do grupo de acesso para 2015. 

Para ouvir os sambas é só clicar nos momes das escolas. 


Unidos de Bangu 

Autores: Serginho Aguiar, Dudu Senna, Bruno Ferraz, Muido da Bahia, Walace Harmonia, Diego R., Leozinho Nunes e Allan Santos

Intérpretes: Runo Ribas e Marquinho Art'samba

"Imperium"

Divina luz da criação
O poder do amor reluz no oriente
Aurora da vida, na terra do sol nascente
Honra e glória marcadas na história
E do faraó ciência e sabedoria
Da Pérsia a tapeçaria
A caravana a nos guiar
Nas Índias as especiarias
Tem cheiro de essência no ar
Um brinde ao sultão... Pra comemorar

Lutar, vencer e conquistar é a missão
Na arte e na fé... Guerreiro do samba
A emoção vai nos levar

O mar, no mar é preciso navegar
Estrelas orientam o destino
Um novo mundo, paraíso encontrar
Maias, Astecas e Incas
Mistérios além da razão
A colônia serviu de refúgio após a invasão
Vieram aclamar império do Brasil
Lindo país tropical
Sapucaí imperium do carnaval

Vem ver quem chegou de vermelho e branco
Avante Bangu respeite meu manto
Valente e guerreira eu vim dela
Vem sentir meu calor cheguei pra ficar 


Em Cima da Hora 

Autores: André Kaballa, Carlos Botafogo, Gláucio Gutierres, Alexandre Gordão e Gilson. Participação Especial: Wilson Bizzar e Shazam

"No coração da cidade, uma história das Mil e Uma Noites: O Rio das Arábias"

Num cenário de magia
Além da imaginação
Mil e uma noites de alegria
Um mundo de fascinação
Gênios, marujos, princesas
Cultura que o tempo preservou
Histórias de amor que fazem sonhar
A inspiração vai nos guiar
Deixando os palácios e desertos
Cruzando os sete mares, rumo incerto
Até o paraíso encontrar

E te encontrei... cidade maravilhosa
Que encanta meu olhar
Canta, Em Cima da Hora... inshalá

Do Oriente, a esperança
Saalam Aleikum! aqui cheguei
Fiz da arte, a herança
Os costumes e as danças, eu recriei
Nos jornais, o dia a dia, são mensagens de saudade
Com os mascates, o comércio prosperou
Eu vou fazer da passarela o meu Saara
A mais perfeita jóia rara, com as marchinhas vem a emoção
Vou comprar a fantasia e cair nessa folia
Solta a voz do coração

Deixa a festa rolar, vem ser feliz
O samba é raça... é minha raiz
Com a benção dos bambas e do Redentor
Meu Rio das Arábias chegou 


Império Serrano 

Autores: Arlindo Cruz, Lucas Donato, Alex Ribeiro, Rogê, Carlos Senna, Beto BR, Andinho Samara, Zé Glória, Wagner Rogério e Chico Matos 

Intérprete: Nêgo

"Poema aos peregrinos da fé!"

Andar com fé eu vou
Na minha peregrinação
Vai ter muita festa, muita emoção
Além dos limites da religião
Imperiano...
Sambista devoto do santo guerreiro
Passo na avenida em romaria
Buscando a vitória, levando alegria
Lá vou eu.... 

Vou no pau de arara, de chapéu de palha 
Barriga vazia.... purificação 
Cheio de esperança, sai pra lá pecado 
Tô de corpo e alma nesta procissão 

Por todos os cantos, com todos os santos 
Valei-me padim Ciço, oxalá Nossa Senhora
Tá na hora, adorando minha escola
Peço a Deus pra abençoar
Hoje a fantasia é o manto
Nossa sinfonia um encanto
Meu samba nunca vai morrer
E a Serrinha vem dizer..
O branco é a paz e o verde é esperança
De ver o mundo só fazer o bem
Senhor rogai por nós amém 

No toque do agogô
Eu vou com fé e amor 
E pode acreditar 
A fé não costuma falhar 


Paraíso do Tuiuti 

Autores: Anderson Benson, Leandro Rc, Minueto, Flazil Câmara e Flavinho Segal

Intérprete: Daniel Silva

"Curumim, chama Cunhantã que eu vou contar..."

Navegou...
Singrando os mares, vindo de além-mar
O vento soprou novos rumos
No afã de encontrar
Riquezas... Um eldorado de rara beleza
Reflete no olhar, o esplendor da natureza
E quando aqui chegou,
Batalhas enfrentou
Desperta a ira dos Tupinambás
Cercado pelo índio brasileiro
Aprisionaram o bravo aventureiro

É noite de luar... Clareia
O índio canta e dança a noite inteira
"Selvagens" com desejo canibal
Na magia do seu ritual

Caminhando na floresta viu...
O nativo e sua bravura
Mistérios na "terra Brasil"
"Devorando" sua cultura
Fugiu... No balanço das ondas do mar
Escreveu sua história
Para o mundo encantar
Hans, heroico, guerreiro
É devorado pelo artista brasileiro

Te amo Tuiuti
És amor pra vida inteira
Eu quero ser índio, valente e feliz
No "paraíso" que eu sempre quis 


União do Parque Curicica 

Autores: Arlindo Neto, Léo Guimarães, Ronaldo Nunes, Marcelinho Moreira e João Diniz,

"Os três tenores... do samba"

Abrem-se as cortinas
O show vai começar
No Municipal a emocionar
Uma bateria audaciosa vai tocar

Sinto a alegria se espalhar
No ar...lindo banjo, poesia
Cacique o seu império de magia
O santo guerreiro a lhe abençoar
Inesquecível linda festa no arraiá

(da Vila...da Vila)
Partideiro devagar, devagarinho
E não vacila
Traz no sangue a negritude
Vai cumprindo seu papel
O poeta escritor da Vila Isabel

De Oswaldo Cruz e Madureira
Fiel guardião da águia altaneira
Encantando a passarela
Baluarte da Portela
"Personagem" singular
Se eu falar de Monarco não vou terminar 
Bravo! Aplausos!
Três tenores cantando
Nos fazem sonhar
Fecham-se as cortinas
Meu samba hoje vai vadiar
Canta forte canta alto
O show tem que continuar

Chegou Curicica,
Bate na palma da mão e vem sambar de coração
No meu lugar a casa é de bamba
Todo mundo bebe todo mundo samba 


Porto da Pedra 

Autores: Evaldo, Dr. Eduardo, Floriano do Caranguejo, Jedir Brisa, Miltinho, Manolo e Diego Tavares 

Intérpretes: Diego Nicolau e Thiaguinho Chaffin

"Há uma luz que nunca se apaga"

Luz que nunca se apaga
Porto da Pedra gerando emoção
Olhar que navega no inverso
Brincando com a ilusão
Nossa usina produz alegria
Nessa festa multicor 
Renova a história, irradia
Corrente no calor da bateria

Na transição a marcação
O repique modulando a conversão
Seu ritmo feroz vai me levar
Evoluindo pra vitória conquistar

Paris.
Reflete à arte, inspira a ciência
A luz da razão, a mais pura essência
Ideias que libertam ideais
Flashes de amor ao luar
Luminescente é a vida a brilhar
Recordação, eterno elo de emoção
A chama da esperança
Na ampla visão do artista
É a fé que ilumina o meu ser
Das cinzas me faz renascer

Nos olhos do tigre vai brilhar
Meu grande amor, Porto da Pedra
Mostrando as garras a desfilar
É São Gonçalo energizando a passarela 


Caprichosos de Pilares 

Autores: Lee Santana, Fernando de Lima, Geraldo Rodrigues, Marcelo Schimidt, Anderson Rodrigues 

"Na minha mão é mais barato"

Índio quer trocar...
É toma lá dá cá que ninharia
O português levou nosso Pau Brasil
Por um caco de espelho quem diria
Quem quer banana a dez Réis negro gritou
Meu tabuleiro tem quindim
Logo a mulata pregoou
Só cinco Vinténs
Por menos eu não vendo pra ninguém

Quem vai querer? Quem quer levar?
Ô meu sinhô minha sinhá... É sensacional
Tem xêpa no Brasil colonial

Com vinte Tostões se comprava
Meu Rio antigo saudades traz
Na rua imigrante chegou
O tempo foi quem transformou
Tem mate com limão no Arpoador 
Quem dorme sonha, quem trabalha conquista
Diz o artista... Que a banca de Pilares é aqui
Hoje a Uruguaiana é Sapucaí
Depois que o dinheiro comprou
O sambista a bandeira rasgou
Eu sou Caprichosos, tá dentro do peito!
Meu amor não tem preço, não tem jeito! 

É artigo de primeira, peça rara, coisa fina
Tem escritório de samba quebrando a firma! 
Quem dá mais no mestre sala? Quanto vale a tradição?
É mais barato aqui na minha mão! 


Alegria da Zona Sul 

Autores: Márcio André Filho, Vaguinho, Adelson, Telmo Augusto, Wagnão e Hebert Rocha 

Intérprete: Alexandre Mendes 

"Kari'oka"

Olha, olha só
O meu batuque não tem pra ninguém
Ser carioca da gema
Um lindo poema que a gente têm
Ele é o cara que paquera na Lapa
Que vai pro Maraca ser campeão
Mora nos braços do redentor
E faz da "Alegria" seu primeiro amor
Sempre dá um jeitinho chegando atrasado avança o sinal que fechou
Na fé do bicho, tentou a sorte
Acendeu vela pra Oxalá
Seu protetor é São Jorge

Curte um funk, é bamba no samba
Bom malandro e piadista
"Mermão" se liga no papo, sou do balacobaco (Ha ha)
Tiro onda com paulista

É carinhoso com seu lugar
Amante do sol, mas adora beijar o luar
Diz muito prazer a todo turista
Trabalha sorrindo, tem pinta de artista
Feliz por natureza
E a cerva "suada" na mesa
Paga uma, deve três e vai chegando o fim do mês
Vou dar um porre na tristeza outra vez

A Alegria chegou por toda cidade
Um rio de amor e felicidade
É praia, é verão, lindo céu azul
Canta Zona Sul 


Acadêmicos de Santa Cruz 

Autores: Zieco Santa Cruz, Roni Remandiola, de Araújo, Marquinho Beija-Flor, Zé Glória e Dudu da Tijuca

"Um pequeno menino se tornou um Grande Otelo"

Menino pequeno sim 
Gigante em seu caminhar 
Sem eira, nem beira, venceu as barreiras 
Correu pelo mundo pra se libertar 
Em Uberlândia, a pele negra, ama branca 
Palhaço na arte seguiu no compasso 
Tambores da fé, o samba no passo da vida 
Pra quem foi sempre apaixonado, revista 
Nesse teatro iluminado 
No cassino da Urca uma pequena notável 

Ao tê-lo de novo vou cantar 
Otelo “o grande” legado popular 
O verso indolente abraça a rima 
Herói dessa gente é Macunaíma 

Ôôôô 
Mais um sucesso da Atlântida 
Das ondas do rádio à televisão 
A vida imita a arte então 
Eustáquio que queres moleque 
Os louros da fama, o dia de graça 
És prata da noite, a estrela negra 
Talento, exemplo da raça 
No seu centenário o povo te abraça 

Se você está feliz 
Dá um grito, faz a festa e cai no samba 
Com grande Otelo eu vou que emoção 
A Santa Cruz é a dona do meu coração 

Inocentes de Belford Roxo 

Autores: André Malheiros, Tico do Gato, Vinícius Ferreira, Juruna Zona Sul, Abilio M&S, Chiquinho do Bar, Altamiro e Sidnei Pinto

Intérprete: Nino do Milênio

"Nelson Sargento - Samba, inocente, pé no chão!"

Salve a natureza
És realeza em seu olhar…
Na estação do amor bem vindo
Faça mais lindo o meu cantar
Salve a boêmia
A nostalgia das madrugadas ao luar
És número baixo, graduado
O Sargento refinado
Por talento na essência
Digno da mais alta patente,
Das vielas sua gente, vem prestar a continência

As flores em vida amores em versos
Lastro da inspiração
A primavera refloresce
No coração

No sonho do sambista
Arautos multi-cores
Compositores toda Mangueira
A tropa inteira, faz a referência a este bamba
Oh meu poeta pelos quintais da poesia
Sempre que regas melodia vejo brotar a flor do samba
Nelson bendito seja este dia
Em que a lágrima profana
O negro forte em toda sua fidalguia

Inocentes é teu calor que me socorre
Nos becos da favela pé no chão
Fere a nota ao violão
O samba agoniza mas não morre 


Unidos de Padre Miguel 

Autores: Beija Flor, Toninho do trailer, Ribeirinho, Lauro Silva, Diego Rodrigues, W. Corrêa, Carlinho do Mercadinho e Cabeça do Ajax.

"O cavaleiro armorial mandacariza o Carnaval"

Chora a poesia
Pra cotovia que não voa mais
Depois que o calango se escondeu
Quando apareceu o ferrabrás
Ao lado de Caetana a mais de uma semana
Plantando o medo nos palmos de chão
Nasce o cavaleiro Suassuna
Ariano traz o canto da Graúna
A carruagem chegou a cidade
Gregório da asas a imaginação
No circo um palhaço o verbo afiado na fé redenção 

No cariri a imagem do cão 
O Cramulhão que maltrata o destino 
Mas há também a criança do bem (amor, amém) 
A bandeira do divino 

É no nordeste que a “bataia acuntece”
Sai pra lá cabra da peste, vá de retro assombração
Mandacaru a uma flor na caminhada
Ha no cabo da enxada
O suor do meu sertão
Mas João Grilo desembesta a gritaria
De que vale a romaria se essa noite esta no fim 
Compadecida, dia de graça altaneiro
Chicó responde sorrateiro
Não sei, só sei que foi assim! 

Olhai por nós, oh! Virgem do céu 
Mandacariza o meu carnaval 
Vem com a unidos de Padre Miguel 
Bendito seja o cavaleiro armorial 


Império da Tijuca 

Autores: Bola , Dudu , Marcão Meu Rei , Gallo e Alexandre Alegria. Participação Especial: Márcio André

Intérprete: Vander Pires

"O Império nas doces águas de Oxum"

Brilha a coroa imperial
Nas águas doces de axé
Cai a chuva de Orum
Abençoa o aiê... Nasceu Oxum
A dona do ouro e da beleza
A força da natureza que Ododúa gerou ô ô ô
Com Ogum venceu batalhas
Com Oxóssi, rei das matas, viveu seu grande amor
Exú deixou se enganar pelo poder da sedução
O segredo da magia no jogo de adivinhação

Lá vem a iabá disputar
Com Obá a paixão de Xangô
Caô é o rei maior
Depois virou pomba dourada e voou
Do alafim de Oió

À rainha de nossa fé
Sinfonia dos afoxés
Presente das águas à luz do luar
Renasce do ventre de Iemanjá
Senhora tão belo seu Ilá
Com seu abebê encantado pela dança
Fertilidade, esperança, deusa, menina, mulher
Mãe das mães reflete a luz da vida
Nesta avenida... Axé
Como é bom te ter a formiga é você
O samba em oração é nossa voz... Rogai por nós

Ô ô ô Oxum (ora iêiê ô), é Oxum
Nossa padroeira a desaguar
A fé no coração de cada um 


Renascer de Jacarepaguá 

Autores: Cláudio Russo, Moacyr Luz e Teresa Cristina

Intérpretes: Diego Nicolau e Evandro Malandro

"Candeia. Manifesto ao povo em forma de arte" 

Ô ô tambor de Angola,
Batuque de gêge - nagô ô ô ô
Vou chamar Zé Tambozeiro pra versar
Oxalá dia de graça vai chegar!

É jongo, é camafeu, é capoeira
Olha o peixeiro na feira!
Jurema no catimbó.
Antônio, filho da flecha certeira
O seu grito a ecoar: Okê Aarô Odé maior

Sereia, a Portela reunida vem cantar
Clareia, o seu verso criou asas pra voar
O mar serenou n’areia
Candeia, Candeia!


Não basta ter inspiração...
Pra cantar samba é preciso muito mais
A rima suada pra ganhar o pão
Lamento em louvor aos orixás
Ioiô, vem bater samba de roda pra iaiá
Que eu preciso nesse samba me encontrar
Alegrar o meu viver
Um rei, guardião de uma cultura popular
Ouça agora a voz de toda a renascer
Renascer de Jacarepaguá

Axé! Candeia, axé!
A luz do quilombo no chão do terreiro 
Axé! Irmão de fé! 
Orgulho do sambista brasileiro 


Acadêmicos do Cubango 

Autores: Sardinha, Gustavo Soares, Wagner Big, Diego Moura, Junior Fionda, Lequinho, Gabriel Martins e Igor Leal 

"Cubango, a realeza africana de Niterói"
 
Dádiva, tesouro
Herança dos meus ancestrais
Me embala no teu colo, oh mãe
Do Congo eu sou guerreiro
Raiz que atravessou o mar, África
Aqui chegou
Aos olhos da lei clandestino
Mudando de vez seu destino
Um novo caminho brilhou
Em nossa terra
A semente germinou
 


Lerê, lerê, tem batuque eu quero ver
Hoje a festa no quilombo vai até o amanhecer
Laiá, laiá, se baixou deixa girar
Pro ritual continuar 

Negro mantém a esperança
De ver um dia a bonança chegar
Negro tem força e não cansa
É a essência africana a lutar… a lutar
Vai meu samba
Cantar em uma só voz
Exaltar a glória
Dos nossos heróis

Não foi em vão nossa fé,
Sou carregado de axé… axé
Somos uma corrente de irmãos
Orgulho de uma negra nação
Ouçam, a nossa oração. 

Ô,ô,ô, o canto do negro ecoou 
A liberdade já raiou 
Ressoa em Niterói cidade que eu amo 
Sou realeza sou quilombola Cubango 


Estácio de Sá 

Autores: Dominguinhos do Estácio, Tinga, Merica, Adriano Ganso, Dani Maroneze e Eduardo Martins

Intérpretes:Leandro Santos e Dominguinhos do Estácio 

"De braços abertos, de janeiro à janeiro. Sorrio, sou Rio, sou Estácio de Sá!"

Eu sei que você me conhece
Meu nome é Estácio de Sá
Reconquistei com orgulho esse chão
Muito mais que inspiração
Escolhi pra ser meu lugar
O por do sol mais dourado
Deita-se na Guanabara
Dorme entre o mar e a montanha
Nos braços do criador
Que abençoa a todos com o nosso jeito
De ser carioca, alegre, festeiro
Levando o Rio pra sempre no peito

Quando a pomba anunciou, a festa começou
Chovem confetes pela cidade
Na fé do negro, ê povo batuqueiro
Ecoa aqui o grito de liberdade


No Rio, a poesia e os violões
Passeiam nas canções e o samba fez escola
A emoção de um gol se espalha no ar
Aros do esporte se entrelaçam
E o mar de esperança encontra Iemanjá
Se você quer matar-me de amor que seja aqui
Olha meu povo chegando
Medalha de ouro na Sapucaí
Pra cantar, e cantar, e cantar
Não dá mais pra segurar
A saudade apertou e agora vou voltar


Deixa falar, aqui é Estácio
Bem no compasso, o berço do samba eu sou
Parabéns meu Rio continua lindo

Continua sendo meu amor

Fonte: