quinta-feira, 30 de junho de 2016

Carnaval 2017 - Enredos das Escolas de Samba de todos os Grupos (Em Atualização)

Faltando pouco menos de 7 meses para o Carnaval 2017 boa parte das principais escolas de samba do Rio de Janeiro já anunciaram seus enredos.
Do Grupo Especial apenas a Campeã Mangueira e a Vila Isabel ainda não se pronunciaram sobre o que levarão para a avenida no ano que vem. Confiram aqui os enredos divulgados pelas escolas de todos os grupos  que será atualizado mensalmente. 
Ao final, algumas notas sobre novas escolas de samba além de alguns pôsteres dos enredos.


Grupo Especial

Estação Primeira de Mangueira – Só com a ajuda do Santo - carnavalesco Leandro Vieira

Unidos da Tijuca - Música na alma, inspiração de uma nação, Comissão de Carnaval

Portela - Foi um rio que passou em minha vida e meu coração se deixou levar, do carnavalesco Paulo Barros 

Acadêmicos do Salgueiro - A Divina Comédia do Carnaval

Beija-Flor - A Virgem dos Lábios de Mel – Iracema, Comissão de Carnaval

Imperatriz Leopoldinense - Xingu - O Clamor que Vem da Floresta, do carnavalesco Cahe Rodrigues
Acadêmicos do Grande Rio - Ivete do rio ao Rio, do carnavalesco Fabio Ricardo e a historiadora Elenise Guimarães

Unidos de Vila Isabel - Ainda sem Enredo divulgado

São Clemente - Onisuáquimalipanse, da carnavalesca Rosa Magalhães

Mocidade Independente de Padre Miguel - As mil e uma noites de uma 'Mocidade' pra lá de Marrakech

União da Ilha do Governador - Nzara Ndembu - Glória ao senhor tempo, do carnavalesco Severo Luzardo

Paraíso do Tuiuti - Carnavaleidoscópio Antropofágico, do carnavalesco Jack Vasconcelos


Série A

Estácio de Sá - É! O moleque desceu o São Carlos, pegou um sonho e partiu com a Estácio!

Unidos de Padre Miguel - Ossain - O Poder da Cura

Unidos do Viradouro - ...E Todo Menino é um Rei

Império Serrano - Meu quintal é maior que o mundo

Unidos do Porto da Pedra  - Ô abre-alas que as marchinhas vão passar! Porto da Pedra é quem vai ganhar... seu coração!

Acadêmicos do Cubango - Versando Nogueira nos cem anos do ritmo que é nó na madeira

Império da Tijuca - O último dos profetas

Renascer de Jacarepaguá - O Papel e o Mar

Inocentes de Belford Roxo - Os vilões - O verso do reverso

Alegria da Zona Sul - Vou Festejar… Com Beth Carvalho, a Madrinha do Samba

União do Parque Curicica - O Importante é ser feliz e mais nada!

Acadêmicos de Santa Cruz - Vou levar somente o que couber no bolso e no coração... uma viagem de sabedoria além da imaginação

Acadêmicos da Rocinha - No Saçarico da Marquês, Tem Mais Um Freguês: Viriato Ferreira 

Acadêmicos do Sossego - Zezé Motta, a Deusa do Ébano


Série B

Caprichosos de Pilares - Ainda sem Enredo divulgado

Tradição - O Lago dos Cisnes

Leão de Nova Iguaçu - llê Axé Opô Afonjá - O Rei está na terra

Em Cima da Hora - Maria, Nossa Mãe Aparecida: 300 anos de bençãos!

Arame de Ricardo - Ora, pois... Hoje o banquete é Real

Unidos de Bangu - Onde há fumaça, há fogo!

Mocidade Unida do Santa Marta - Bip Bip, um Bar a Serviço da Alegria. Lá onde o Samba está em Casa!

Unidos do Jacarezinho - O Dia em que o Jacaré Comeu a Noite

Unidos da Ponte - Roberto Ribeiro, o Menino Rei

Corações Unidos do Favo de Acari

Unidos do Cabuçu - Domingo Menino Dominguinhos

Acadêmicos do Engenho da Rainha - Zé Keti:Eu sou o samba!

Vizinha Faladeira - A Última do Português a que nem Camões contaria...


Série C

União de Jacarepaguá - Os Retornantes

Unidos de Lucas

Arranco - Regina Celi e Salgueiro - Uma história de amor sem ponto final

Unidos das Vargens -

Coroado de Jacarepaguá

Arrastão de Cascadura

União de Maricá - Mistérios Da Meia-Noite

Boca de Siri

Sereno de Campo Grande - Com muito Calor Humano, o Sereno é Suburbano!

Lins Imperial - O Monarco do Samba

Unidos da Vila Kennedy - À Vila Kennedy Canta; Ilú Ayê ao Brasil da Liberdade

Unidos da Vila Santa Tereza - Abracadabra

Flor da Mina do Andaraí - Mães Do Brasil… Histórias de Luta, Esperança e Amor… Na Passarela do Carnaval a Vocês… Uma Flor!

Acadêmicos de Vigário Geral - Contos do Vigário: Nasce Um Trouxa A Cada Minuto


Série D

Mocidade Unida da Cidade de Deus

Acadêmicos do Dendê - Viagem Fantástica na Arca do Poetinha

Acadêmicos da Abolição - Oxóssi, O Caçador

Rosa de Ouro - Uma Grande Viagem ao Reino Encantado da Imaginação

Império da Uva - Brasil Africano, o Canto dos Silenciados

Chatuba de Mesquita - O Bobo na Corte do Carnaval

Mocidade Independente de Inhaúma - Contos de Fadas

Difícil é o Nome - Difícil É Não Amar! Quadrilha do Sampaio, 60 Anos de História na Cultura Popular

Unidos de Cosmos

Unidos da Villa Rica

Alegria do Vilar dos Teles

Matriz de São João de Meriti - Ah! Eu To Feliz, Eu Vou na Praia Com a Matriz
Unidos de Manguinhos - 

Nação Insulana

Tupy de Brás de Pina - O Dom de Wilson das Neves


Série E
 
Império da Zona Oeste

Gato de Bonsucesso - A Opereta de Um Boi em Festa

Mocidade de Vicente de Carvalho - O Ciclo da Vida 

Império Ricardense - A Última Noite de Carnaval 

Acadêmicos de Madureira - Se É Feriado, Eu Pulo pro Lado de Lá. Região dos Lagos, Melhor Lugar Não Há!

Embalo Carioca

Boêmios de Inhaúma - Agosto de Todos os Gostos e Crenças

Unidos do Cabral

Bohêmios da Cinelândia - Wilson Moreira: Moderno sem Perder a Tradição, Sambista sem Deixar de ser Jongueiro

Unidos de Três Corações -

Colibri de Mesquita

Boi da Ilha do Governador

Delírio da Zona Oeste

Chora na Rampa - Nordeste Os Encantos de um Povo Festeiro 

União de Vaz Lobo - Renascendo das Cinzas 


Notas:

1. A escola de samba Corações Unidos do Favo de Acari não existe mais. Durou apenas um carnaval a parceria entre as escolas Favo de Acari e Corações Unidos do Amarelinho, sendo desfeita para 2017. No próximo carnaval, o Favo de Acari retornará com sua nomenclatura original e desfilará no Grupo B na Estrada Intendente Magalhães. O Corações Unidos do Amarelinho de Irajá voltaria a desfilar em 2017.

2. O G. R. E. S. Império de Petrópolis, que possui o enredo Muito Prazer Sou Petrópolis a “Cidade de Pedro” para o Carnaval de 2017 ainda almeja desfilar no Grupo E na Intendente Magalhães no próximo carnaval.


3. O G. R. E. S. Feitiço do Rio da Região da Grande Tijuca, busca sua filiação na Associação Cultural Samba É Nosso para desfilar no Grupo E na Intendente Magalhães no próximo carnaval.


4. O G. R. E. S. Bohêmios da Cinelândia desfilará no Grupo E no Carnaval de 2017 na Intendente Magalhães.



Alguns pôsteres dos enredos









Fonte: 



quinta-feira, 24 de março de 2016

Pensando fora da Polarização

Diante do caótico cenário atual são poucas as análises racionais interessantes que aparecem. E mesmo estas acabam atropeladas por novos acontecimentos. A incapacidade de produzir uma reflexão além de frustrante é perigoso, pois abre espaço para o discurso raso e marcado apenas pela raiva, ignorância, preconceito e revanchismo. O medo maior é que já nem sequer haja espaço para tais análises aprofundadas e contrariar a tendência polarizadora, que nos 'obriga' a levantar uma das duas bandeiras hoje  expostas, problematizando ao invez de aceitar o discurso simplista, apesar de nos colocar como alvo de ambos os lados é um bom exercício que principia o debate crítico que está em falta. É isto o que proponho. 

Do mesmo modo que é completamente impossível, de forma sensata, a defesa do governo petista, seja pela ótica do seu distanciamento de um projeto progressista e popular e aproximação ao grande capital, seja pelos atos de sua alta cúpula e seus indicados, levantados nos processo do Mensalão e na operação Lava à Jato, não é possível, a partir de uma mínima consciência crítica, a aderência cega aos movimentos que ocupam as ruas que travestido de combate à corrupção,  exigem a saída do PT do Governo.

Nesse grande imbróglio não nos é permitido sermos ingênuos tão pouco omissos. 

De fato a corrupção não nasceu e não acontece apenas no governo do PT. Atravessou todos os nossos regimes de governo. Enriqueceu muitos durante os governos militares, aprovou emendas, dentre elas a da reeleição de FHC, e contribui para a avalanche de privatizações em sua tenebrosa e entreguista presidência e abarrotou o cofre de partidos e de pessoas ligadas ao atual governo. Contudo não pode ser esta a justificativa para que não se passe os crimes à limpo. A criticidade deve se pautar em analisar as razões e interesses para que os casos passados não tenham sido levados à justiça e não oferecermos salvo conduto sobre os crimes atuais. 

É inegável a contribuição histórica que a operação Lava à Jato está proporcionando ao estado brasileiro, com suas punições à grandes empresários, políticos e resgate de valores roubados da Petrobras. Assim como também é inegável certa seletividade tanto nos indiciamentos quanto aos vazamentos de informações, o que coloca o judiciário em suspeição quanto a sua isonomia, além de condutas classificadas ao menos como questionáveis, por diversos juristas. Contudo, devemos pensar que se os crimes não tivessem sido cometidos poderiam ocorrer toda ou qualquer investigação ou grampo, legal ou ilegal, vazado inadvertidamente ou não, que a lisura dos envolvidos não seria questionada. Não podemos nos opor à uma justiça que tende a mudar o histórico e correto chavão de que rico não é preso. Mas é necessário atenção às ações que desrespeitam a constituição, os direitos ou estejam imbuídas de partidarismo e megalomania. Elas devem ser punidas assim como os seus alvos quando comprovados seus crimes. Ambos são graves, ambos devem ter consequências. 

Deixando de lado qualquer dubiedade, o papel da grande mídia com inquestionável parcialidade, manipulando, pré julgando e inflamando reações raivosas e polarizadas da população, tem sido pertinente para não dizer essencial no clima que tomou conta do país. Mas é imperioso ressaltar que  independente do, não surpreendente, 'trabalho' da imprensa, o ataque que o governo está sofrendo é fruto de suas próprias ações, quando achou que poderia lançar mãos das velhas práticas da política brasileira para se perpetuar no poder e que arregando ao grande capital pensou que por ele não seria descartado. O governo colhe o que plantava à muito tempo e a mídia, comandada por Globo, Folha, Estadão e Veja agradece por terem lhes dado o motivo que faltava para exercer sua vocação golpista, maniqueísta, desregrada e criminosa. 

Sim, existe todo um cenário construído pela oposição sedenta pelo poder que não ocupa há 13 anos, por organizações de direita como o MBL e o Vem Pra Rua, pelo empresariado liderado pela FIESP cujos cortes, ajustes fiscais e deterioração dos direitos dos trabalhadores não aplaca sua sanha contra a CLT, com o combustível midiático que pôde enfim mostrar sua vocação em larga escala e que por fim se apoia em certo desequilíbrio de nosso judiciário que no mesmo compasso em que desfralda a grande malha da corrupção institucional parece trabalhar com tendências políticas. Porém não podemos perder de vista que o embrião disso tudo está nas ações do governo quando decidiu chafurdar na mesma lama pela qual passaram Sarney, Collor, FHC, e uma série de nomes que pilharam o povo. 

Se está clara a impossibilidade de juntar-se às fileiras em apoio a um governo que brada a defesa da democracia, mas que aprova leis que criminalizam as manifestações, que vangloria-se da promoção social realizada mas promove ajustes que punem os trabalhadores, que dizia apoiar a reforma agrária mas coloca uma latifundiária para comandar a pasta responsável e que sempre cobrou ética e se corrompeu de forma titânica, tão clara é a ojeriza em se tornar massa de manobra de uma oposição desejosa de uma vendeta, que deu coragem ao discurso fascista de se relevar sem véus, que proporcionou mais um campo para a burguesia desfilar seus preconceitos, que eleva ao altar dos heróis paladinos figuras incipientes e que trazem a vida as viúvas do militarismo. Tenho certeza que ótimas  pessoas procuram este lado em um desesperado ato de clemência por mudanças, mas enquanto estes insistirem em flertar com pautas burguesas, reacionárias e preconceituosas não me sensibilizarão.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

A Menina de Oya e o Título da Velha Manga

Em uma das apurações mais emocionantes dos últimos tempos, a minha Estação Primeira sagrou-se vencedora do Carnaval 2016, chegando a 19 títulos e ficando a apenas 2 da Portela que mantém seu enorme jejum. Como não assisti todas as escolas e a transmissão global não faz inteira justiça com algumas escolas, analisei o resultado a partir do visto por mim no Sábado das Campeãs no qual pude estar presente. 

Imperatriz
Pelo bom samba e pela possibilidade de explorar a temática sertaneja esperava a Verde e Branco mais forte e vistosa. Mesclando boas soluções, como a coroa de milho, com alegorias abaixo do seu padrão visual o desfile se sustentou na presença de famosos que levantavam a Sapucaí e no já comentado samba que parecia ser mais cantado pelos espectadores do que pelos componentes. O sexto lugar me pareceu justo pelo o que vi nos desfile das campeãs. 

Beija Flor
A impressão passada na transmissão global era a de um rolo compressor atravessando a avenida (que na verdade é rua). Comentei que a azul e branco seria a escola a ser batida. Não desfiz por completo essa impressão, mas as poucas reticências que tinha se fortaleceram. Os dois carros iniciais apesar de incrivelmente belos eram um tanto confusos. O dourado sem alguma cor para dar uma quebrada deslumbrava, mas dificultava a compreensão do significado do mesmo. 

Algo que passou despercebido como telespectador foi uma alegoria terrível, ponto totalmente fora da curva. Era o "marquês pelo Brasil" que lembrava um grande caixote verde com figuras de qualidade duvidosa nas laterais e com destaques na parte de cima dividindo espaço com outras figuras com apenas a parte de cima do corpo, que mais lembravam esculturas reaproveitadas ou de escolas de grupos inferiores. Tirando esse descalabro, harmonia impecável, bateria correta marcando firme e eis que chega o último carro. Simplesmente fantástico e possivelmente o mais bonito dos desfiles de 2016. Um pouco superestimada por mim no desfile transmitido pela venus platinada, a Beija Flor poderia estar até uma posição mais acima na classificação brigando com Unidos da Tijuca que deveria ficar mais abaixo. 

Salgueiro
Por culpa de um eletricista ou de um gerador meia boca o Salgueiro colocou o campeonato no colo da Mangueira. Pelo demonstrado no desfile das campeãs o título poderia ter ido para a vermelho e branco. O samba não era excecional, mas cresceu na Sapucaí, o conjunto alegórico foi o melhor e mais equilibrado da noite, a bateria deu show e a escola mostrou boa harmonia e evolução apesar de pequeno contratempo causado pelo zepelim. Sua falha foi que a primeira alegoria jamais poderia ter vindo apagada. Se apenas os refletores do chão tivessem apagados, provavelmente não teria perdido ponto algum no quesito e ficaria a frente da Verde e Rosa. No entanto como os postes de luz também vieram apagados e estes eram parte do conceito do carro. No equilibrado carnaval de 2016 um detalhe levou a escola da primeira posição para o 'injusto' 4° lugar. 

Portela
O difícil de comentar o desfile da Águia é se contrapor as inúmeras posições positivas inclusive da mídia especializada, mas quem dá opinião deve correr tais "riscos". Minhas reticências ao trabalho de Paulo Barros, que vem desde seu primeiro desfile grupo especial, são dentre outras coisas em decorrência de seu excesso de teatralidade que tira a a espontaneidade própria do Carnaval, seu desiquilíbrio e repetição no conjunto alegórico, além de algumas opções que refletem mais o seu ego em detrimento ao que é melhor para escola. Em determinadas ocasiões, ao fazer concessões, seu desfile fica mais harmônico e leve e assim apresenta algo equilibrado e com o real espectro do Carnaval. 

Apesar de chegar próximo, não foi isso o que eu vi no desfile da azul e branco a começar pela comissão de frente cujo desnecessário e tosco efeito de jogar água na pista, que na análise de TODOS os veículos de imprensa e possivelmente na visão dos jurados prejudicou a performance do primeiro casal de mestre sala e porta bandeira. O único que parace não ter visto isso foi Barros. O fato de este casal não ter dado nota máxima à Portela nos últimos desfiles não reflete uma isenção do fator água, só joga mais dúvida sobre o risco que a escola foi exposta apesar de treino e do solado especial. Alguns argumentos citavam a possibilidade de chuva que traria o mesmos riscos, porém a chuva o carnavalesco não controla e jogar água na pista sim. 

A citada repetição de carros esse ano se fez presente no carro do Jurassic Park cujo conceito fora utilizado pelo menos outras duas vezes e no carro que representava Eldorado com um dublê caindo, cuja encenação já que esteve presente em desfile anterior. Em menor grau o seu desequilíbrio nas alegorias foi refletido no último carro que contava com uma finalização a meu ver displicente, no carro dos ETs e robôs que poderia ter uma melhor solução assim como no aclamado Viagens de Guliver que por si só é um reflexo do devaneio do carnavalesco. Faltou nele um trabalho de acabamento e principalmente pensar em forma de não ter deixado um buraco quando o boneco se levantava. 

Diferentemente do ocorrido e divulgado nas redes sociais em seu desfile oficial, no desfile das campeãs não houve falhas de harmonia. Ao contrário disso em ternos de ritmo de desfile e escola mostrou um nível altíssimo. A renovação com Paulo Barros indica a confiança no trabalho dele e de modo estranho um acerto da escola, pois para sair de seu incômodo jejum de quase meio século sem título isoladamente, a Portela precisava se reinventar. A questão é controlar o ego e as invencionices de Barros para o ano que vem. A escola já conseguiu se recuperar da derrota injusta de 1995 e vai saber lidar com seu justo terceiro lugar. 

Unidos da Tijuca
Havia certa curiosidade para saber o que a escola fez para ter alcançado o vice campeonato, desbancando Salgueiro e Portela sem que não houvesse sobre ela grande alarde. De fato a escola fez um desfile de bom nível técnico apesar da frieza. Os poucos apontamentos referem-se a dois carros que mostraram certa preguiça ou falta de criatividade. As alegorias não precisam ser incrivelmente belas, mas deve harmonizar adequação ao enredo, bom acabamento e plasticidade. Os carros que mostravam uma espécie de silo para guarda de alimentos e uma colheitadeira mereciam um algo a mais, ficaram simplórios demais não só em termos de beleza mas na solução que propuseram. O bom samba não rendeu e tornou a escola cansativa, sensação corroborada por certa repetição visual. A espera pela escola campeã do Carnaval 2016 tromava quase angustiante assistir a Tijuca que poderia estar atrás de Salgueiro e Portela (apesar de minhas contrariedades) e dar-se por satisfeita. 

Mangueira
Mostrar neutralidade científica nestas horas é meio complicado. Quando perde é fácil refletir criticidade ou dizer que foi injusto e coisas do tipo. Mas sendo a sua escola ganhadora a coisa se complica, porém tentarei fazê-lo. Considerando o apresentado no Sábado das campeãs diria que a Mangueira talvez perderia para o Salgueiro, mas seria algo muito próximo do que aconteceu na apuração, diferença mínima decimal. Se o que a Estação Primeira apresentou na segunda feira de carnaval foi superior ao demonstrado na apresentação festiva aí só no photochart. Apesar de ambas apresentarem problemas semelhantes relacionados à iluminação de um dos carros, o caso do Salgueiro foi pior, pois sua alegoria apresentava não apenas um iluminação para valorizar o carro, era a própria parte da proposta uma vez que reproduzia os postes de luz de regiões históricas da cidade. O problema de iluminação no carro da Mangueira, que funcionou em parte do desfile, a sua existência não comprometeu a solução do carro. 

As alegorias aliás são algo a destacar no desfile da verde e rosa. Durante muito tempo suas alegorias assim como as fantasias eram os grandes calcanhares de Aquiles da escola, até que no começo dos anos 2000 a escola se agigantou e apresentou algumas das maiores alegorias já vistas no Sambódromo e fantasias bem acabadas. Com uma crise administrativa e financeira a partir da metade desta primeira década do novo século, a estação primeira caiu em qualidade chegando a apresentar alegorias inacabadas ou com graves problemas de finalização. Em 2016 a escola pode não ter resgatado sua opulência de outrora, vide o tamanho reduzido dos carros, mas a qualidade e finalização das alegorias não pode ser discutida. As soluções apresentadas pelo estreante carnavalesco conseguiram unir a facilidade de compreensão do enredo assim como boa estética. Com forte influência de Rosa Magalhães e bom trabalho com as cores da escola, conseguir ótimo resultado tanto nos carros como nas belas e vistosas fantasias. 

Apesar das dúvidas que me geravam, o bom mas não tão forte samba, sustentou bem o desfile ajudando a harmonia e a evolução. A bateria mostrou um pouco menos de encanto com a diminuição das bossas que eram marcantes na administração de Ivo Meireles, mas se mostrou consistente. Mestre sala e Porta Bandeira (esposa do carnavalesco) estavam excelentes e conquistaram o público. Pisando forte na avenida, com um bom conjunto alegórico, com fantasias bem acabadas, samba funcionado bem, bateria sustentando harmonia e evolução, o único senão em minha análise foi a comissão frente com um elemento cênico exagerado e coreografia sem muito encanto. Aliás com exceção da Beija Flor o ano não foi dos melhores para as comissões de frente. Enfim, um desfile equilibrado sem grandes problemas que apresentou uma Mangueira revigorada e renascida. O título foi justo? Penso que sim, porém Salgueiro poderia ter tido melhor sorte.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Resultado de Todos os Grupos do Carnaval 2016 do Rio de Janeiro

Assim como em outros anos, divulgo aqui no Blog os Resultados Oficiais de Todos os Grupos do Carnaval 2016 do Rio de Janeiro.

Como positivo cito, obviamente a minha Estação Primeira que após 14 anos sagrou-se campeã do Carnaval, diminuindo a diferença para a Portela em número de títulos, que já foi de 7 para apenas 2. Deixarei uma análise mais aprofundada para um outro post.

Da região de São Cristóvão e adjacências, também vem a vencedora do Grupo de Acesso A. É a Paraíso do Tuiuti que voltará às grandes no ano que vem.

Outro destaque fica por conta das Escolas de Samba de Niterói e São Gonçalo que tomaram conta do Grupo de Acesso e contarão com 4 escolas da região: Viradouro, Cubango, Sossego (Niterói) e Porto da Pedra (São Gonçalo).

Também é importante destacar a vitória da Vizinha Faladeira no Grupo de Acesso C. Escola de história peculiar e que retornou às atividades nos anos 90 após 50 anos de hiato. Outra escola de tradição que conseguiu importante resultado foi a Tupy de Brás de Pina que subiu do Grupo E para o D com o seu vice campeonato e subindo com a estreante Nação Insulana.

Negativamente cito a Unidos de Lucas que caiu para o Grupo de Acesso C. Escola nascida a partir da fusão da União da Capela e Aprendizes de Lucas, sendo que a primeira já foi uma das campeãs do Carnaval de 1960 (o título desse ano foi dividido entre 5 escolas).

Assim como é preciso pontuar o péssimo ano da Caprichos que irá desfilar na Intendente Magalhães em 2017, além de outra queda da Acadêmicos da Abolição que irá se juntar com a Dificil é o Nome (de Pilares) no Grupo D. 

Vamos aos resultados.

Grupo Especial
1º Mangueira: 269,8 pontos
2º Unidos da Tijuca: 269,7 pontos
3º Portela: 269,7 pontos
4º Salgueiro: 269,5 pontos
5º Beija-Flor: 269,3 pontos
6º Imperatriz Leopoldinense: 269,2 pontos
7º Grande Rio: 268,7 pontos
8º Unidos de Vila Isabel: 267,9 pontos
9º São Clemente: 267,8 pontos
10º Mocidade: 266,5 pontos
11º União da Ilha: 265,8 pontos
12º Estácio de Sá: 265 pontos (rebaixada para o Grupo de Acesso A)

Grupo de Acesso A
1º Paraíso do Tuiuti: 269.9 pontos (sobe para o Grupo de Especial)
2º Unidos de Padre Miguel: 269.2 pontos
3º Viradouro: 268.3 pontos
4º Império Serrano: 268.3 pontos
5º Porto da Pedra: 267.9 pontos
6º Cubango: 267.8 pontos
7º Império da Tijuca: 267.7 pontos
8º Renascer de Jacarepaguá: 266.5 pontos
9º Inocentes: 266.2 pontos
10º Alegria da Zona Sul: 265.9 pontos
11º União do Parque Curicica: 265.6 pontos
12º Acadêmicos de Santa Cruz: 265.3 pontos
13º Acadêmicos da Rocinha: 263.5 pontos
14º Caprichosos de Pilares: 262 (rebaixada para o Grupo de Acesso B)

Grupo de Acesso B
Acadêmicos do Sossego: 269,5 pontos (sobe para o Grupo de Acesso A)
Tradição: 269,3 pontos
Leão de Nova Iguaçu: 269,2 pontos
Em Cima da Hora: 268,8 pontos
Arame de Ricardo: 268,7 pontos
Unidos de Bangu: 268,7 pontos
Mocidade Unida de Santa Marta: 268,5 pontos
Unidos do Jacarezinho: 268,1 pontos
Unidos da Ponte: 268,1 pontos
10ºCorações Unidos do Favo de Acari: 268 pontos
11ºUnidos do Cabuçu: 267,9 pontos
12ºEngenho da Rainha: 267,8 pontos
13ºUnião de Jacarepaguá: 267,4 pontos (rebaixada para o Grupo de Acesso C)
14ºUnidos de Lucas: 266,3 pontos (rebaixada para o Grupo de Acesso C)
15ºArranco do Engenho de Dentro: 265,5 pontos (rebaixada para o Grupo de Acesso C)
16ºUnidos das Vargens: 265,3 pontos (rebaixada para o Grupo de Acesso C)
Notas:
A Escola Unidos das Vargens foi punida em 1,6 pontos.
A Escola Arranco do Engenho de Dentro foi punida em 2,1 pontos.
A Escola Mocidade Unida de Santa Marta foi punida em 0,6 pontos.
A Escola Unidos de Lucas foi punida em 1 ponto.
A Escola Engenho da Rainha foi punida em 1,2 pontos.

Grupo de Acesso C
1º Vizinha Faladeira: 269.3 pontos (sobe para o Grupo de Acesso B)
2º Coroado de Jacarepaguá: 268.9 pontos
3º Arrastão de Cascadura: 268.6 pontos
4º União de Maricá: 268.4 pontos
5º Boca de Siri: 268.4 pontos
6º Sereno de Campo Grande: 268.1 pontos
7º Lins Imperial: 267.8 pontos
8º Unidos de Villa Kennedy: 267.1 pontos
9º Unidos de Vila Santa Tereza: 266.8 pontos
10º Mocidade Unida da Cidade de Deus: 266.3 pontos (rebaixada para o Grupo de Acesso D)
11º Acadêmicos do Dendê: 265.0 pontos (rebaixada para o Grupo de Acesso D)
12º Acadêmicos da Abolição: 264.3 pontos (rebaixada para o Grupo de Acesso D)
13º Rosa de Ouro: 260.8 pontos (rebaixada para o Grupo de Acesso D)
Notas:
A Escola Lins Imperial foi punida em 0,2 pontos.
A Escola Unidos de Villa Kennedy foi punida em 0,2 pontos.
A Escola Acadêmicos do Dendê foi punida em 2,3 pontos.
A Escola Acadêmicos da Abolição foi punida em 1,5 pontos.
A Escola Rosa de Ouro foi punida em 4,0 pontos.
A Escola Unidos de Vila Santa Tereza foi punida em 0,1 pontos.
A Escola Mocidade Unida da Cidade de Deus foi punida em 0,4 pontos.

Grupo de Acesso D
1º Flor da Mina do Andraí: 269.9 pontos (sobe para o Grupo de Acesso C)
2º A. de Vigário Geral: 269.1 pontos (sobe para o Grupo de Acesso C)
3º Império da Uva: 268.2 pontos
4º Chatuba de Mesquita: 268.1 pontos
5º M. Independente de Inhaúma: 267.8 pontos
6º Difícil É o Nome: 267.8 pontos
7º Unidos de Cosmos: 267.1 pontos
8º Unidos da Villa Rica: 266.8 pontos
9º Alegria de Villar: 266.1 pontos
10º M. de São João de Meriti: 265.2 pontos
11º Unidos de Manguinhos: 264.0 pontos
12º Império da Zona Oeste: 262.5 pontos (rebaixada para o Grupo E)
13º Gato de Bonsucesso: 261.6 pontos (rebaixada para o Grupo E)
14º M. de Vicente de Carvalho: 232.8 pontos (rebaixada para o Grupo E)
Notas:
A Escola Império da Zona Oeste foi punida em 1,8 pontos.
A Escola M. Independente de Inhaúma foi punida em 1,4 pontos.
A Escola Gato de Bonsucesso foi punida em 2,9 pontos.
A Escola Unidos de Manguinhos foi punida em 0,3 pontos.
A Escola M. de Vicente de Carvalho foi punida em 1,4 pontos.

Grupo de Acesso E
Nação Insulana: 179,9 pontos (sobe para o Grupo de Acesso D)
Tupy de Brás de Pina: 179,5 pontos (sobe para o Grupo de Acesso D)
Império Ricardense: 179,4 pontos         
Acadêmicos de Madureira: 179,4 pontos
Embalo Carioca: 179,3 pontos
Boêmios de Inhaúma:  179 pontos
Unidos do Cabral: 178,6 pontos
Bohêmios da Cinelândia: 177,8 pontos
Unidos de Três Corações: 177,8 pontos
10ºColibri de Mesquita: 177,8 pontos
11ºBoi da Ilha do Governador : 177,3 pontos
12ºDelírio da Zona Oeste: 175 pontos
13ºChora na Rampa: 170,6 pontos
14ºUnião de Vaz Lobo: 87,1 pontos
15ºZambear:  0,0 pontos (Suspensa de desfilar por um ano)
Notas:
A Escola União de Vaz Lobo desfilou apenas com um tripé, carro de som e pouco mais de 10 componentes, acarretando em 7,6 pontos em penalidades.
A Escola Chora na Rampa foi punida em 3,6 pontos.
A Escola Delírio da Zona Oeste foi punida em 1 ponto.
A Escola Unidos do Cabral foi punida em 1 ponto.
A Escola Zambear não desfilou, portanto obteve nota zero. Face sua colocação obtida, segundo o regulamento fica impedida de desfilar em 2017. O novo regulamento não implica na transformação da Escola em Bloco assim como a vencedora do Grupo 1 de Bloco não mais se transforma em Escola de Samba, para isto é necessário alteração de sei registro e filiação a nova entidade organizadora do Grupo E.

Blocos de Enredo
Grupo 1
Império do Gramacho : 199,5 pontos     
Barriga: 199 pontos  
União da Ponte: 199 pontos
Novo Horizonte: 197,5 pontos
Flor da Primavera: 196 pontos
Oba-Oba do Recreio: 183 pontos
Tradição Barreirense de Mesquita  - Art. 14 (rebaixada ao Grupo 2)

Grupo 2
Acadêmicos do Vidigal: 202 pontos (sobe para Grupo 1)
Unidos do Alto da Boa Vista: 196,6 pontos      
Vai Barrar? Nunca!: 196 pontos
Bloco do China: 193 pontos
Unidos da Laureano: 192 pontos
Raízes da Tijuca: 186,5 pontos
Mocidade Unida de Manguariba: 134,5 pontos (rebaixada ao Grupo 3)

Grupo 3
Cometas do Bispo: 103 pontos (sobe para o Grupo 2)
Canários das Laranjeiras: 98,5 pontos   
Esperança de Nova Campina: 98,5 pontos
Mocidade Unida da Mineira:  92 pontos
Grilo de Bangu:  81,5 pontos - Artº 14 (Suspensa de desfilar)

Desfiles 2017
Grupo Especial (Domingo Dia 26/02 e Segunda Dia 27/02) – Sapucaí
Mangueira
Unidos da Tijuca
Portela
Salgueiro
Beija-Flor
Imperatriz
Grande Rio
Vila Isabel
São Clemente
Mocidade
União da Ilha
Paraíso do Tuiuti

Série A (Grupo de Acesso A – Sexta Dia 24/02 e Sábado Dia 25/02) – Sapucaí
Estácio
Padre Miguel
Viradouro
Império Serrano
Porto da Pedra
Cubango
Império da Tijuca
Renascer
Inocentes
Alegria da Zona Sul
Parque Curicica
Santa Cruz
Rocinha
Sossego

Série B (Grupo de Acesso B – Terça Dia 28/02) – Intendente Magalhães  
Caprichosos
Tradição
Leão
Em Cima da Hora
Arame
Unidos de Bangu
Santa Marta
Jacarezinho
Ponte
Corações do Favo
Cabuçu
Engenho da Rainha
Vizinha Faladeira

Série C (Grupo de Acesso C – Segunda Dia 27/02) – Intendente Magalhães
União de Jacarepaguá
Lucas
Arranco
Vargens
Coroado
Arrastão
União de Maricá
Boca de Siri
Sereno
Lins Imperial
Vila Kennedy
Vila Santa Tereza
Flor da Mina
Vigário Geral

Série D (Grupo de Acesso D – Domingo Dia 26/02) – Intendente Magalhães
Mocidade da Cidade de Deus
Dendê
Abolição
Rosa de Ouro
Império da Uva
Chatuba
Mocidade de Inhaúma
Difícil é o Nome
Cosmos
Villa Rica
Alegria do Vilar
Matriz de São João
Manguinhos
Nação Insulana
Tupy de Brás de Pina

Série E (Grupo de Acesso E – Sábado das Campeãs Dia 04/03) – Intendente Magalhães
Império da Zona Oeste
Gato
Mocidade de Vicente de Carvalho
Império Ricardense
Acadêmicos de Madureira
Embalo Carioca
Boêmios de Inhaúma
Unidos do Cabral
Bohêmios da Cinelândia
Três Corações
Colibri
Boi da Ilha
Delírio
Chora na Rampa
União de Vaz Lobo

Grupo 1-Bloco      
Império do Gramacho
Barriga
União da Ponte
Novo Horizonte
Flor da Primavera
Oba-Oba do Recreio
Acadêmicos do Vidigal

Grupo 2-Bloco      
Tradição Barreirense
Alto da Boa Vista
Vai Barrar? Nunca!
Bloco do China
Laureano
Raízes da Tijuca
Cometas do Bispo

Grupo 3-Bloco      
Manguariba
Canários das Laranjeiras
Esperança de Nova Campina
Mocidade da Mineira

Fontes:
Rádio Arquibancada
Site SRZD
Site Carnavalesco
Galeria do Samba

Federação de Blocos